A Voz do Pastor › 11/03/2016

Uma explosão de Amor!

capa_mensagemQuando a religião parecia não mais ter respostas, o homem parecia não encontrar mais saídas, o universo não suportar mais o peso enfadonho de viver todos os dias a mesma coisa; quando a natureza parecia ter perdido a dignidade que lhe era peculiar, deixando os rios sem vida, os mares sem encanto e a vegetação sem cores… eis que houve uma intervenção, uma explosão, um grito: “Cristo Ressuscitou!”. É o movimento antigo e sempre novo da Páscoa, a Festa da Passagem, não mais de uma região geográfica para a outra, senão a existencial passagem do eu velho, e sem vida, para um eu novo e renovado!

Outrora, os israelitas precisaram peregrinar do Egito à Canaã, para assim poderem viver com menos carga e respirar o precioso dom da liberdade. Chegar a Canaã era o sonho de qualquer judeu zeloso, pois lá os aguardaria leite e mel, isto é, recursos capazes de suavizar uma vida marcada pelo peso, dor, escravidão e sofrimento.

Na plenitude dos tempos, Canaã, de imagem física e estática, encontrou espaços na Pessoa do Filho de Deus. Com Ele, as divisões existenciais foram substancialmente encerradas; o muro caiu, a dor foi amenizada, o peso foi suavizado, a Esperança por dias melhores voltou e tudo ficou mais cheio de vida.

A Festa da Páscoa continua com uma tônica de Mistério e de fato: é Mistério de Amor! Porém, uma realidade que deve ser a Luz da Revelação, desvelada o suficiente, até entendermos que lugar Ela deve ocupar em nossa vida cristã.

O bonito é que somado ao Mistério, encontramos ferramentas humanas. Como não lembrar desses elementos: sepulcro / discípulos / José de Arimateia / mulheres, ou seja, matéria humana? Deus, em Jesus, quis servir-se dessa realidade, certamente para nos dizer: “O céu sempre pressuporá a terra, o nosso ‘lá’ é consequência do nosso ‘aqui’”, pois humano e divino estão em profunda conexão; um sem o outro, ou cai no fundamentalismo deteriorado, ou no laxismo desmedido e incrédulo.

Entremos com muita alegria nessa Explosão de Amor, sem medo, pois a Páscoa continua viva e atuando no chão concreto da nossa vida humana, ainda que pesados sejam nossos pecados, incontáveis nossas culpas, azedas nossas experiências.

Cristo superou o vazio, a dor e a morte. Com sua entrega suprema de amor, revolucionou o modo de crer do religioso, a harmonia da natureza, devolvendo docilidade à vida amarga do homem e da mulher de todas as raças, línguas, povos e nações.

Pe. José Ancelmo Santos Dantas
Vigário Paroquial

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.